Após derramar 3 mil barris de petróleo em Cuninico, Morona e Chiriaco, na Amazônia peruana, a petroleira Petroperu pediu perdão às comunidades em uma audiência realizada pela Corte Interamericana de Direitos Humanos.

Ainda não há comentários. Deixe um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.