: Fotojornalista do Correo del Caroní está desaparecido há mais de seis meses

Fotojornalista do Correo del Caroní está desaparecido há mais de seis meses

Thu, 20 de September de 2018

Wilmer González foi visto pela última vez em fevereiro deste ano, antes de ir trabalhar em uma mina no estado de Delta Amacuro, na Venezuela. A última comunicação com sua família foi na primeira semana de março e desde então nada se sabe sobre seu paradeiro. O fotógrafo, além de trabalhar para o Correo del Caroní, colaborou com vários meios internacionais, incluindo a aliança deste meio com o InfoAmazonia, para a reportagem investigativa recentemente premiada: “Explorando o Arco Mineiro“.

Por mais de seis meses, parentes e amigos íntimos do fotojornalista do Correo del Caroní, Wilmer González, desconhecem seu paradeiro. Ele foi visto pela última vez em fevereiro, antes de ir trabalhar em uma mina em Piacoa, no estado de Delta Amacuro, na Venezuela.

A última comunicação telefônica com sua família ocorreu na primeira semana de março. Desde então, eles não ouviram falar dele, embora Wilmer sempre tenha mantido contato com sua família, especialmente seus filhos. A decisão de trabalhar durante algum tempo nas minas foi justamente por causa da situação econômica do país e do fato de manter o sustento de sua casa.

O desaparecimento foi relatado ao Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminalísticas (CICPC). No entanto, até o momento, nenhuma resposta foi obtida em relação ao seu paradeiro ou às investigações.

Wilmer Gonzalez apoiou como motorista e fotógrafo durante a investigação trabalho escrito por Bram Ebus, “Explorando o Arco Mineiro”, um resultado da parceria entre InfoAmazonia e Correo del Caroní com o apoio do Pulitzer Center. A reportagem investigativa ganhou o Prêmio Al Neuharth de Inovação em Jornalismo Investigativo da Online News Association, na categoria de pequenas redações, anunciada em uma cerimônia nos Estados Unidos em 15 de setembro deste ano.

Ele também colaborou com outros meios internacionais, como o The New York Times, a agência de notícias Associated Press (AP) e o El Confidencial, da Espanha.

Suas últimas pautas foram no início de fevereiro. Um em Tucupita, estado Delta Amacuro, onde participou como motorista junto do fotojornalista William Urdaneta e da jornalista Jhoalys Siverio, para um trabalho especial da ONG Instituto de Imprensa e Sociedade (IPYS).

Depois disso, ele trabalhou como motorista e fotógrafo para uma reportagem no oeste do Estado de Bolívar, na Venezuela, juntamente com a jornalista María Ramirez Cabello e a correspondente de El Confidencial da Espanha, Alicia Hernández.

Wilmer González trabalhava no Correo del Caroní há mais de oito anos na cobertura fotográfica das várias fontes de notícias do jornal, nas quais sempre contribuiu com um trabalho fotográfico de alta qualidade.

A família preferiu não denunciar até agora por medo de que houvesse retaliação ou que as investigações fossem interrompidas.

×

Encontre a localização

Encontrar

Resultados:

Latitude:
Longitude:

Zoom:

Finalizar geocodificação

×

Envie um artigo

Você tem alguma notícia para compartilhar sobre a Amazônia? Contribua para este mapa enviando uma reportagem. Ajude a ampliar o entendimento do impacto global desta importante região.

Encontre localização no mapa

Encontre localização no mapa